Por que os carros usados estão tão caros?

22/02/2021
  • Compartilhe:
carros usados estão caros

O mercado de veículos usados e seminovos sempre foi uma boa opção para quem deseja comprar um carro, já que nele é possível encontrar variedades para todos os orçamentos e com características variadas. Nele é comum a procura por oportunidades que unem carros em bom estado de conservação a um preço considerado justo. Mas desde os primeiros meses da pandemia de Covid-19 uma pergunta se tornou frequente entre os compradores do setor automotivo: por quê os carros usados estão caros?

A verdade é que não existe uma resposta única para responder esse questionamento, mas sim um conjunto de fatores que, juntos, aumentaram os preços dos veículos seminovos. 

Influência do carro 0km no preço do usado

Um deles é o valor do carro 0 km. Geralmente, mudanças drásticas no preço do novo influenciam no valor praticado pelos revendedores de usados, sejam eles pessoas físicas ou jurídicas. Essa situação pode levar a modificações tanto para baixo (vide o período que o Governo Federal concedeu isenção de IPI para veículos 0 km) quanto para cima, que é exatamente o que tem acontecido há pelo menos um ano. Como a indústria automotiva trabalha com componentes importados, a alta do dólar tem levado os fabricantes a reajustes mensais. Mesmo carros produzidos no Brasil usam determinadas peças trazidas de fora do país (motores e transmissões estão entre os mais comuns), sendo impossível de as montadoras ignorarem as oscilações da moeda americana.

Outro fator que tem influenciado as alterações é a diminuição de oferta no mercado de veículos novos. No início da pandemia boa parte das montadoras e seus fornecedores pararam suas linhas de montagem. A pausa da produção gerou um descompasso na relação “oferta e demanda” e poucas fabricantes conseguiram regularizar sua produção, sendo comum encontrar os pátios das concessionárias autorizadas desabastecidos. Não por acaso, muitos modelos têm filas de espera que podem durar 150 dias da data do fechamento do negócio até o faturamento do carro.

Com o veículo 0 km mais caro e em falta, os revendedores puderam aumentar os preços dos carros usados.

Alta demanda de usados

Também chama atenção o aumento da demanda de veículos usados, o que é outro indicador para o aumento de preço. Para se ter uma base, se compararmos as vendas de outubro, novembro e dezembro de 2020 com as vendas dos mesmos meses de 2019 (ou seja, antes da pandemia), temos um aumento de 5,97%, 13,71% e 21,32%, respectivamente, segundo dados da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). 

Com muitas pessoas comprando carros seminovos, lojistas e concessionários começaram a melhorar as avaliações dos veículos que entram nas negociações. Essa nova estratégia adotada pelos comerciantes vai além do objetivo de não perder vendas para o concorrente. A captação de carros na troca tem sido fundamental para manter os estoques com uma boa quantidade de opções e, consequentemente, garantir novas vendas futuras.

Por esse motivo, os preços oferecidos aos clientes para envolverem seus carros na negociação variam de acordo com o histórico, condições estruturais, quilometragem, ano, entre outros fatores, porém o que se vê é um cenário de valorização pouco visto no setor. Enquanto um carro popular de alto giro era avaliado entre 80% e 85% da Fipe (tabela referência para venda, cobrança de IPVA e indenizações de seguradoras), hoje esse mesmo veículo pode ser avaliado na faixa de 95%, podendo alcançar até mesmo 100% da Fipe. Com os compradores pagando mais caro para manterem seus estoques cheios, o valor de revenda dos carros usados e seminovos segue em alta.

Consulta de placa antes da compra

Muitos compradores evitavam comprar carros usados por causa do risco de investir em um veículo de procedência desconhecida. Com frequência descobriam que o carro recém-adquirido tinha um histórico de leilão, restrições judiciais e até mesmo chassi remarcado. Porém, esse risco foi bastante reduzido graças às tecnologias de checagem de placa. Ao usar esse tipo de recurso, os clientes começaram a adquirir produtos com boa procedência, reduzindo a dor de cabeça e, consequentemente, aumentando a procura por veículos usados. 

Sites que checam placas de carros usados geralmente disponibilizam dados originais do carro, desvalorização média no mercado, valor na tabela Fipe, preço de mercado, decodificador de chassi, indícios de sinistro, recalls abertos, histórico de leilão, entre outros indicadores. 

Comentários(1)

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *